quinta-feira, 1 de setembro de 2011

o beijo social

e pelo centro da semana, sem pretensão - aparente - belos seios surgem sobre a bancada, já suja de cerveja e suor de alguns aventureiros, e como se desejassem desfilar por ali, movem-se por impulsos independentes. o olhar vai para um lado, outro, enquanto espera o pedido feito. o mesmo olhar pede a dança e ela, confiante, comanda o corpo, que passa a transitar entre todos os espaços que ali cabem, criando o charme-atraente em cada mínimo movimento. observa, passa por perto, espera um contato, mesmo que seja para desmerecer. aguça a curiosidade, estimula a consulta a amigos próximos durante a madrugada, faz descobrir o nome e incentiva as relações próximas. pede, sem saber - e talvez querer - que se envie uma mensagem de boas vindas. infantil. força, sem saber - e talvez querer - dias de espera. encontro em fila e toque na cintura, seguido de beijo social. cria distância novamente.

Nenhum comentário: