sexta-feira, 22 de outubro de 2010

eu fui.

los hermanos em uma roupagem mais simpática.

com saída de natal programada para as 14h da tarde, resolvi seguir a bela máxima de lobão "sempre em dia com o seu atraso", pegando a estrada lá pelas 16h e pouco, rumo a joão pessoa, com o objetivo de capturar o animal oportunista e seguir para recife, a são paulo nordestina. a felicidade de fazer o revival moçambicano no encontro com pons era uma das poucas coisas que me empolgava, já que estava indo para o show dos los bostanos hermanos para pagar uma suposta dívida de amizade.

por volta das 21h, chegamos no apto de pons sem sofrer nenhum atentado, tiro ou sequestro (ainda bem que sou desconhecido por lá). depois daquele velho e bom banho, seguimos para o centro de convenções de recife e aí começou a saga noturna por aquele que seria o pior show da minha vida (falando sonoricamente, já que as companhias eram boas). ao chegar no estacionamento, já ouço um coro dos fãs cantando uma música deles e pensei "que felicidade, o show já começou e por isso serei obrigado a assisti-lo por menos tempo"… puro engano e dor-de-cabeça instantânea.

fãs da banda em frente ao palco.

após adentrar naquele cenário woodstock-acimentado, onde jovens barbudos e fake-alternativos desfilavam pelo pátio, fui atrás de vodkas que pudessem me confortar pelas horas adiante.

o início do show começa a demorar e os fãs a ficarem revoltadinhos. somente quando surge o primeiro barbudo no palco, a felicidade e o delírio toma conta da garotada. nesse exato momento, todos bebem um gole d'água e se preparam para a cantoria dos próximos minutos. começa a minha real diversão: o hobby em observar fixamente alguns fãs cantando as músicas com o objetivo de constrangê-los. ah, para quem não sabe, o show de los hermanos é o momento onde rola uma espécie de competição-não-declarada, onde cada fã tenta mostrar que é mais fã do que está ao seu lado, cantando todas as letras do começo ao fim.

quando erram uma letra, sentem-se como os jovens japoneses que não conseguem passar no vestibular e o suicídio torna-se inevitável. infelizmente, assistimos à cenas como essa abaixo, na saída do show, onde um jovem se matou no estacionamento. amigos comentaram que ele errou um refrão de numa única música e não ia aguentar conviver com isso. final trágico.

jovem se mata após errar refrão de música.

após presenciarmos a terrível cena, seguimos para a pin-up burgueria lanchar e descansar daquela noite. esse foi o melhor momento do show.

2 comentários:

Stela disse...

uahuahauha Ai leo, ainda assim quero ir a um show deles! Mas não vou me matar não, juro! Espero que tenha quando eu voltar pro Brasil
Bjos

Alessandra Pinto disse...

Léo, muito bom. Pior show, pessoas histéricas, fãs exagerados e sinceramente mal ouvi os caras cantando.Alias, eles cantaram mesmo?