quinta-feira, 8 de abril de 2010

a mulher-calcinha-bege



mulher broxante é o pior mau que pode me ocorrer. é o tipo de coisa que me gera decepção como nenhuma outra, pois sempre me pega de surpresa. como sou otimista com as mulheres, utilizo sempre minha imaginação para acreditar que algumas me proporcionarão prazeres imensos, mas aí acabo trombando com uma mulher-calcinha-bege e isso tudo vai por água abaixo. são as mulheres que possuem um dom incrível em potencializar sua sem-gracice, principalmente em temas extremamente prazerosos: sexo, bebidas e música - a tríplice vitoriosa dos prazeres humanos.

sobre o sexo, evitam falar a respeito. acreditam que é algo muito individual, ou seja, uma contradição à própria condição do ato. nada bate, não tem lógica, não consigo entender. acho que nunca tiveram uma noite boa na cama (ou no carro ou no sofá ou no banheiro com a casa lotada de gente). nunca gozaram (ou pensaram que sim) e isso – ao menos isso – me alegra, pois sei que quando experimentarem esse ato tão egoísta, ficarão taradas. também tenho uma teoria (com um certo embasamento prático) de que mulher que transa "tarde demais" acaba virando uma viciada e insaciável e louca e bom-demais-isso-tudo. sexo é falta de educação para a mulheres-calcinha-bege. nada sabem sobre as fantasias masculinas em relação às colegiais.

na bebida, evitam chegar aos excessos. não podem "perder" o controle de seus atos, pois com isso também perderiam a sua hipocrisia (e elas são apegadas demais à ela). seria demais para a mulher-calcinha-bege contar às amigas - que são idênticas - como foi a noite anterior: perdeu a cabeça e transou com o homem-maravilhoso-e-sexy-que-estava-no-bar, este que acabara de conhecer. óbvio que não transará mais, pois como ela nunca falou de sexo e nunca teve experiências nessa área, por mais gostosa que ela seja, foi um fracasso na cama e o bonitão não ligará para ela hoje. será uma espécie de lição.

a música simplesmente não entendem. entender é diferente de gostar, que fique claro. ela é uma amiga do dia-a-dia que está ao meu lado sempre e não compreendê-la é o mesmo que apunhalar-me pelas costas e rodar o punhal 3 vezes. já dizia chavela vargas: "a música é o orgasmo universal". não entendê-la é a maneira mais rápida de me fazer broxar, perder o interesse, querer que a pessoa suma e nunca mais volte.

10 comentários:

Gabi disse...

hahaha, a vertente oposta seria o cara "cueca-azul-desbotado", aquele carinha mais ou menos, super sem sal, que "curto todos os estilos de música" e "quero um rum com coca" e "mulher solta demais não presta, o homem tem que comandar"

broxante tb. uó.

márcio disse...

RAPAZ.

escolha as que tiverem cheias de MÉ, que no outro dia elas vão botar a culpa toda na cachaça.

E eu sei que pior do que uma calcinha bege, é uma cueca oculta - coisa que já lhe ocorreu, naquele carnaval que você acabou botando a culpa na cachaça.

ei, gabi, eu sou desses.

la increible aventura disse...

é gabi, deve ser. qualquer dia desses vou escrever sobre essa outra vertente. vou usar da minha observação e lado feminino, além de realizar uma pesquisa avançada com amigas para coletar dados.

ps: márcio, aquele carnaval foi insano.

ginha disse...

essa é o processo inverso do freezer de porta aberta em modo degelo. :/ até para as mulheres que lêem.

Sergio Aires disse...

o uso da calcinha bege só é permitido quando a mulher tem certeza de que o homem não terá acesso (visual e tátil) a ela. o conforto que ela proporciona é comparado aos das cuecas ofertadas nas liquidações da riachuello.

NICE disse...

heueheu.. viva a calcinha bege no inverno... mas cuidado ao sair de casa ou receber visitas inesperadas! :P Adeus cuecas bege, azul desbotado e marron... :)

Larissa disse...

Cuecas desbotadas azuis, com um rasguinho do lado e puxando o fio do outro é o que há. Mostra que o cara não tá nem aí, que não tem frescura, e quem sabe o rasgão não aconteceu em um momento de sexo selvagem?

Eu não gosto é daquelas cuecas de 30 conto, chiques, que parecem lingerie feminina...

Quer saber de uma coisa... A melhor roupa de baixo é "nenhuma" roupa de baixo.

Tenho dito!

Anônimo disse...

Esse omi tá muito seletivo ATÉ sem calcinha tá valendo...Jofles veris.

substantivohomem disse...

O melhor texto lido até agora em 2010... FATO...

Falou por muitos homens meu caro... Poderia inclusive virar disciplina ao invés de qualquer daquelas discuplinas arcaicas ensinadas na Escola Doméstica... Teríams mulheres bem melhores...

Anônimo disse...

É obvio que uma lingerie sexy faz todo o diferencial na hora da seduçao. Porém, nao ser uma mulher calcinha bege é muito mais do que vestir uma calcinha vermelha.
É preciso atrair, ser interessante, estimular,seduzir. E isso nao tem ligaçao com a cor da lingerie...
Ou seja, você pode encontrar uma mulher calcinha bege de calcinha vermelha ou o contrário.Portanto não se engane com as aparencias, meu amigo.

A proposito, continuo sua fã.