terça-feira, 2 de março de 2010

viagem à phalaborwa



malas no carro e tanque cheio: tudo pronto para a viagem. pegamos a estrada por volta das 15h, munidos de mapas amadores e muita sorte nos bolsos. ao chegarmos na fronteira, aquele embaço peculiar da galera moçambicana que nos forçou a contribuir com a corrupção do país, pedindo ajuda aos bons moços que lá "trabalham" e vivem em busca de aventureiros apressados como nós. após aproximadamente 1h entre as duas fronteiras, continuamos a viagem, agora com olhos mais atentos aos mapas.



depois de algumas horas e alguns trechos errados, chegamos bem no poona lodge, de surpresa, pois eu havia esquecido um detalhe não muito importante: o endereço do local. fomos recepcionados pela adorável dee, que logo perguntou "quem é leonardo?" e como se nós fossemos já amigos de longa data, nos levou ao nosso quarto, o mais aconchegante em que já estive. sua filha tineal nos acompanhava e se prontificava para nos levar à cidade e conhecer os bons lugares para bebermos e nos divertirmos.



saímos, seguindo tineal e nathan (amigo dela), e chegamos no primeiro bar, que apesar de vazio, era bastante acolhedor. logo de cara, fizemos amizade com o bêbado-da-cidade, um figura. tomamos algumas doses no balcão e fomos embora para uma boate chamada arrows. assim que entramos, me senti na festa-de-high-school-music-que-eu-nunca-estive. uma galera bem nova, mas o ambiente divertido. após pegar a primeira dose, começamos a mostrar nossas habilidades de dança para todos ali que estivessem dispostos a ver o nosso show. fomos apresentados à alguns amigos de tineal/nathan e quando a última música parou, fomos embora. a partir daí, lembro-me muito pouco do que aconteceu, além do fato de eu ter ido tomar banho na piscina do lodge.

pela manhã, fomos nos alimentar e rir das coisas engraçadas da noite passada. seguimos em direção à área de exploração da mina local para ver um buraco gigante que parecia ser uma bela ilustração aos nossos olhos. o esforço de subir a "montanha" valeu muito:



depois fomos à outro bar, na beira de um rio e ficamos por lá por alguns minutos. a placa que dizia para ficar longe do rio era bem convincente, pois pessoas já haviam sido engolidas por crocodilos e hipopótamos naquela área.



de volta ao lodge, fomos para a piscina, comemos um queijo-com-um-molho-de-pimenta-doce-perfeito, tomamos banho e fomos para o estádio.



o calor começava a brigar com a gente. assistimos a uma apresentação africana, com momentos bem homossexuais, como podem ver:



ficamos no campo, dançamos muito e participamos de uma espécie de ritual para tomar amarula de uma senhora que parecia ser a rainha daquele lugar.



todos se amontoavam por perto, aguardando o momento em que ela abriria o seu balde para todos pegarem a bebida.



foi escurecendo e nada do show de freshlyground, o motivo principal de nossa viagem. resolvemos comer algo na cidade e fomos à outro bar, onde fizemos novas amizades.



voltamos por volta das 18h para o estádio e o clima começou a ficar tenso, pois a galera do festival estava bebassa e nós éramos os únicos brancos ali (leia "apartheid 2.0"). roubaram a carteira de um dos nossos amigos. depois de muito debate, resolvemos ir para a boate do dia anterior. chegamos, tomamos um shot pesadíssimo de uma bebida destilada de pêssego e após um bate-papo lá fora, fomos dançar novamente. ficamos na boate até a última música. nos divertimos muito.

pela manhã do domingo, tomamos café-da-manhã, nos despedimos das novas amizades e pegamos a estrada. voltamos pelo kruger park, vimos mais alguns bichos e continuamos a viagem. chegamos à noite, mais de 10h dentro do carro, mortos. hoje, ainda me sinto ressacado pelos 3 dias intensos, mas com ótimas lembranças e amizades.


8 comentários:

me disse...

Boa Man!macacco.

Polliana Araújo disse...

Ufa, quanta coisa!hahaha
Mas eu pensei que você ia falar mais da tal banda de nome estranho. Parece que você curti mais a apresentação exótica dos africanos.hahaha É brinks ;)

Fiquei com água na boca pelo amarula e pelo queijo com molho de pimenta doce... traz pra mim? :)

E como eu disse no msn, sua barba tá enorme. =P

Beijo =*

lalafernandes disse...

Meu AMIGO! Tire essa barba horrorosa e jogue fora essa camisa laranja trash!!!! Se jogar fora eu te mando uma camisa preta que ganhei com o desenho de Stewie Emo...

E outra coisa... Você mencionou que dançou umas 4, 5 vezes aí nesses dias... What the deuce? The new Leonardo Mello?

Parabéns! =)

ginha disse...

(muitas) camisas do Brasil para apaziguar hein =P

:*

Alex disse...

Larissa meu amor... Leonardo não dança!! Alem da cintura dura q ele tem (e que cintura) ele mexe demais os ombros e não sabe o que fazer com os pés!! Ja tentei ensina-lo, mas ali é só nascendo de novo.. rsrs

leozito, voce ta demais com essa barba, meu fi.. deixa crescer mais um pouco só de sacanagi!!

abraços, cabreron. e se cuida ai negão

Luciano disse...

Esse homi é esse homi mesmo.
Aproveita meu fi. Tenha cuidado, pois vc já viu q homISsexuais tem em todo lugar né. Cuidado pra não postar sem querer uma fotinha tu agarrado com o kra. Abraço fofinho! kkkkkkkk

Sara disse...

BB, tIRE ESTA BAIBA... VC SAB COM QUE PAREC NÉ...?!
GRUDENTO TIRE ISSO... pRA FICAR NO CLIMA... sÓ FALTA APRENDER O Rebolation, tion o rebolation, o rebolation, tion, rebolation
O Rebolation...
sUA CARA... SÓ ME LEMBRO DE VC... KKK

beibi disse...

A melhor parte desse passeio foi sem dúvida a da dancinha + aquela nova versão de amarula = vc, contratato como dançarino oficial da dança do acasalamento! ;P