sexta-feira, 19 de março de 2010

"e eu já estava lá a te esperar sem dizer adeus"



sentava, sobre o pequeno batente da universidade paraibana. o sol fazia questão de mostrar sua força, mas teimoso, eu tentava me esconder em sombras bestas - e cada árvore valia muito. numa dessas tentativas, passa por mim um belo vestido, vestido de charme bem jovial e potencialmente sacana. um perigo querendo ser inocente, daqueles que sentem prazer em fuder com a vida da gente. depois desse dia, vieram beijos, ligações para ex-pessoas-importantes e um corte de cabelo curto, terrivelmente sedutor. além de pequeno, era preto e contrastava com a cor querendo ser branca da pele, no rosto magro e desprentesioso. e ela ria bastante, pois sabia que o dia todo no salão faria uma grande diferença, apesar de tê-la tratado de forma tão bruta naquela mesma noite. não sabe ela que aquele passar de tesoura foi o responsável por tudo o que viria a seguir. pela vontade não só de beijar, mas de ser importante em cada pequeno momento de sua vida. e seguiram as boas masturbações, as brincadeiras inocentes que visavam beijos em seios e a tentativa de beijá-los em um ônibus interestadual. era o canalha de um lado e a aspirante a inocente do outro. mas, o sexo propriamente dito - a bela penetração desejada pelo macho-da-tribo - nunca houve. não que ela não desejasse, mas para ela, era mais prazeroso apenas não fazer. sentia prazer em ser desejada em excesso, não em executar o desejo. ela pega corpo, engrossa as pernas, fica mais carnuda, desperta o desejo da mordida, aprende línguas, vai morar no estrangeiro, paquera branquelos, dança demais, fica charmosa no p&b. ele, lento como só ele é, continua ele.

8 comentários:

márcio disse...

rapaz, ela podia estar com gonorréia, tb.

la increible aventura disse...

é, quem sabe... mas acho que não. aliás, você não tem o direito de destruir a ilusão desse meu lindo romance. queime no inferno, seu morador de apartamento-que-parece-ser-meio-apartamento-apenas.

Polliana Araújo disse...

Puts...

não sei o que te inspira por aí, mas você se torna mais e mais intenso a cada texto. Quase tô acreditando que você é um romântico incontrolável.rsrsrs

Brincadeiras à parte, belo texto.

E eu devo dizer que a parte "não que ela não desejasse, mas para ela, era mais prazeroso apenas não fazer. sentia prazer em ser desejada em excesso, não em executar o desejo" é algo que eu já vi e muito por aí... numa realidade próxima até demais, totalmente intrínseca a mim.

Mas eu só sei de uma coisa. No mundo em que há tanta valorização ao superficial... eu sinto falta de alguém que me olhe com esses olhos ora canalhas, ora inocentes...

:D

Maria Quadros disse...

Porra Leo,
Porra!
11 anos ??
temos mesmo, que por em pratica, a nossa missao para este ano...
nos espere...

bjokas

la increible aventura disse...

já estou esperando essa força-tarefa, não me decepcionem.

Zeca de Oliveira disse...

bichu, tu é mesmo um maníaco! hehe

Massa ler teu blog!

Raquel disse...

Léo vc está um voraz romântico (surpresa minha) e além da sua falta de delicadeza habitual, os seus textos são demais.

NICE disse...

Léo... seus textos são ótimos, eu me sinto uma expectatora das cenas... mas isto não parece ser novidade... Quanto ao comentário da Neit... ACT aqui é Admissão em Carater Temporário hehe.. Bjus Saudades