segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

como (não) perder uma francesa em 7 dias


essa semana tive o prazer de presenciar um dos casos mais hilários de como um homem pôde "perder" uma mulher tão rapidamente, fazendo tudo, exatamente tudo, aquilo que não se deve fazer. vou aqui reproduzir um manual prático de como se perder uma francesinha em tão pouco tempo. é preciso destacar a nacionalidade da garota, pois o fato de ser francesa muda tudo, apesar de alguns erros cometidos terem sido universais. bom, vamos aqui que interessa:

1. o primeiro encontro

foi num sábado à noite, que ele a viu pela primeira vez. foi convidado por um amigo em comum à visitar um centro onde tocava uma banda local e lá estava ela, sentada, como a maioria das outras pessoas, de costas para ele. ela queria apreciar a banda, sentir o clima local, regional, vivenciar a cultura de perto. uma autêntica francesa pelo mundo. ele, só pensava em encher a cara, como se fosse a última noite de sua vida. ao entrar no local, foi com um amigo para a frente do palco e começou a dançar, de forma ridícula, se imaginando "o cara" da noite. não bastasse, tirou uma versão reduzida de whiskey do bolso e começou a beber, se tornando a única pessoa a fazer isso no recinto. já chegou mostrando a que veio.

dica #1: se você não sabe dançar, não dance, pois o máximo de atenção que você conseguirá da sua garota é um forte apelo de "por favor, pare de ser ridículo, eu não preciso ver isso". uma boa francesa tem um gosto refinado e apesar de querer apreciar as diferenças culturais, ela saberá diferenciar também o que é bom e o que é ruim, portanto, um pouco de senso do ridículo é sempre bem vindo.

2. a primeira farra

no dia seguinte ao primeiro encontro, houve um diálogo minimo entre os dois, mas nada que gerasse intimidade. na verdade, ele sabia muito pouco sobre ela até então, o que deveria ter causado cautela nele, mas obviamente não foi isso que ocorreu. na noite de quarta-feira, se encontraram em uma festinha leve, uma espécie de entrada para a noite que os esperava. o garotão, descolado como só ele é, já partiu para as boas doses de whiskey, umas duplas, outras triplas. novamente, o diálogo foi curto, mas o suficiente para mais um vacilo do garoto. eis a situação: em um determinado momento da noite, ele olha para os lados e não a encontra... depois de alguns minutos, ela aparece e ele, entrosadão, pergunta: "tá sumida hein!?" - ela hesita em responder, faz uma carinha da francesa mais doce do universo e ele, sem motivo algum, questiona novamente "e aí, tava onde?", ela faz um gesto como se tivesse telefonando, meio sem jeito, mas ele insiste - novamente sem motivo algum - e ela responde, totalmente desconcertada "estava no banheiro". ou seja, ela estava cagando fazendo "aquilo" e ele não percebeu algo tão lógico.

dica #2: não tente prolongar uma conversa que não vai gerar nada de bom, principalmente se você já perdeu a conta de quantas doses tomou. há outras maneiras de se criar entrosamento e com certeza essa não foi a melhor para uma boa apreciadora de vinhos, um doce de pessoa.

3. a primeira mensagem

todos sabem que a combinação álcool + tecnologia (celular e redes sociais) é fatal, bem pior que álcool + direção (o governo deveria investir em campanhas do tipo "se beber, não envie sms"). eu mesmo sou prova disso, mas nosso amigo se superou dessa vez. após chegar da "primeira farra", ele decide enviar um sms para a amiga dela - o que é pior - dizendo "oi, faz um favor? avisa a fulana que ela é linda. sim, estou bêbado (yes, i'm drunk) ;p". é isso mesmo: houve uma tradução da pior parte da frase, como se ela fosse americana e, não, francesa... e esse sorrisinho ";p" atestou o seu estado alcoólico. não preciso destacar que o primeiro encontro dele com ela após essa mensagem foi um tanto constrangedor, mas ambos fingiram que nada aconteceu.

dica #3: se estás apaixonado e bêbado, permaneça longe de qualquer coisa que possa enviar algum tipo de mensagem à distância, incluindo aparelhos celulares, computadores com acesso à internet e amigos sacanas que, por ventura, possam também realizar tais atividades.

4. a última mancada

após o envio do sms, ele decidiu que seria melhor chutar o balde e desistir de vez dela. incapaz de ser racional, prefere exaltar seu lado emocional e, numa noite de sábado, exatamente 7 dias após conhecê-la, dá seu último tiro, o de misericórdia. estando presente ao seu lado durante uma festa, durante aproximadamente 2h, sem dialogar nada, exatamente nada, resolve ir embora e solta uma piadinha para a amiga dela, também francesa, alias, esteriotipadamente francesa: "se algum homem chegar perto de fulana, você me avisa, tá?" seguido de um sorrisinho maroto. a amiga dela fez um sinal de "ok", mas aparentou seriedade e muita, muita preocupação.

dica #4: nunca subentenda que a piada que você faz costumeiramente no seu país irá rolar em outros lugares do mundo. nesse caso, o que provavelmente ela pensou a respeito dele foi que o mesmo era um psicopata-sexual-terrível-e-perigoso, louco pra brigar com quem se aproximasse da amiga dela.

após uma semana intensa, o nosso amigo resolveu deixar de lado essa paixão dele e chegou à conclusão de que "francesas são complicadas demais".

5 comentários:

lalafernandes disse...

Menos de um mês e já tá apaixonado, Leo?

Leonardo, o terror das Áfricas...


kkkkkk

la increible aventura disse...

não fui eu, foi um amigo, mas não posso dar mais detalhes...

lalafernandes disse...

certo... eu acredito...

Aldo César disse...

"amigos sacanas que, por ventura, possam também realizar tais atividades." ... Eu me reconheci nessa parte hehe .. liga liga

kamila disse...

Hahahaha!! Você sempre foi e sempre será HILÁRIOOOO! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. E claro, inonscientemente consciente!!
Beijão Primo!