sábado, 15 de novembro de 2008

diálogos de sexta à noite...

na saída de um novo bar, direcionado ao sucesso das noitadas da galera...

- e aí cara, tás aí desde que horas?
- rapaz, há pouco tempo... vacilei. tomei cana de tarde, e quando cheguei aqui, já tava vazio de carro.
- você é de onde?
- recife.
- ah, eu conheço um pouco... há 10 anos atrás tive uma namorada lá...
- mas você não ia...
- sim, eu ia... todo mês ia lá ficar com ela, ao menos 1 final de semana...
- ah, sim...
- e o que tá fazendo pelos lados de cá?
- cheguei em casa, sem ninguém me avisar, vi com meus olhos, sabe? ninguém me contou... minha mãe sangrando, meu padrasto bateu nela, tava com um corte aqui ó (apontamento para a região acima dos olhos)... não pensei nada, fui direto na cozinha, peguei uma faca...
- caralho... e aí, fudeu o cara ou ele tá vivo?
- ele viveu, ainda bem, não tenho nenhum crime nas minhas costas...
(com expressão de desacreditação, me mostra sua identidade, menos identidada que tudo, e comenta "nem parece eu né, eu era professor, dava aula e me meti nessa... preciso de uma identidade, porque sem ela, sou só um indigente qualquer, mas se me pegarem, puxam tudo da minha vida: mãe, pai, de onde sou...")
- mas a polícia tá com mandado ou algo assim atrás de você de qualquer forma?
- não, ele não denunciou... o cara era louco, batia nos filhos, apanhava dos filhos, da família... tudo o mais... e não me denunciou.
- hm... entendo... mas você ainda mantem contato com sua mãe?
- não, não consigo... acho que roubaram o celular dela, não consigo encontrá-la, mas ela sabe que eu estou aqui...
- que coisa...
- você pode me arrumar 1,75 para eu comprar uma latinha? a galera pede grana pra comprar comida, mas eu prefiro ser direto sabe, quero comprar uma cana... eu tava na pedra, aí larguei e fico tomando cana pra passar...
- pedra é vacilo grande...
- é, eu sei... tem amigos meus que ficam com raiva de mim, porque eu não quero mais... me chamam para ir a alguns lugares e eu não vou... descobri que para largar mesmo não é bom andar com o pessoal disso...
- é, dos males, o menor... fique na cana. onde você mora?
- sabe onde é ali o Sesc?
- sei sim...
- você desce direto pra praia, aí no terreno baldio ao lado...
- sei...
- é ali onde eu moro.

2 comentários:

olavo disse...

rapaz, tem muito disso na noite. conheço altos caras nessa vida

e as britas nem se fala... mega trash =/

falou

Nickita disse...

Credo, ler isso fez piorar meu estado, vou reler o post do dia 02, rs.