sábado, 27 de setembro de 2008

vontade de...

apagar as contas de e-mail, desligar o telefone.
de atropelar o motoqueiro.
de mandar calar a boca aqueles que adoram ser incompreensíveis, além dos que não percebem nada, nada, ao seu redor e perdem tempo fazendo perguntas desnecessárias.
de mandar pra puta que pariu todos os profissionais incompetentes, em especial provedores de hospedagem, que atrapalham a vida dos que sabem fazer certo.
de não ser obrigado a ser carinhoso, só porque eu "deveria" ser.
de não ouvir a todo momento os meus defeitos, pois eles já me consomem naturalmente.
de chegar e dizer "não, não sou capaz de te oferecer isso e se desejas continuar próximo, que me aceite nesse momento, da forma que sou, pois minha energia é prioridade em outro ponto agora".

2 comentários:

olavo disse...

se acalmou mais no sul?

aparece :O)

lalafernandes disse...

vontade de...
ir embora para um interior calorento e desconhecido onde ninguém me conheça nem me julgue e viver lá caminhando de pés descalços no chão ardente, conversando com velhinhas nas calçadas em fins de tarde e tomando cachaça com os velhos no único barzinho existente, depois do almoço.
mandar à merda todos os imbecis pregos e otários que já permiti, por um motivo ou outro, que entrassem em minha vida, achando que poderiam usar e abusar da minha boa vontade e simpatia perigosa.
largar tudo e morar num apartamento de um quarto só na zona norte, trabalhar a noite em algum bar e passar meus dias escrevendo escrevendo escrevendo.
gritar toda vez que meus familiares me olham com olhares reprovadores e comentam que "algo deu errado" em mim.
não precisar de ninguém neste mundo, de não ser questionada sempre pelas minhas escolhas e meus gostos, de não ter que dar satisfações pelas coisas que gosto de fazer, de não poder ser quem sou, e sim, uma sombra daquilo que gostaria de ser junto a aquilo que todos desejam que eu fosse.